Blog

Veja a maneira correta de ingerir alimentos funcionais

Alimentos funcionais estão na moda por auxiliarem na perda de peso e ainda possuírem uma série de nutrientes essenciais para a saúde. Mas, é preciso saber consumi-los da forma correta para que deem o resultado esperado. Algumas maneiras de ingeri-los podem fazer com que o alimento não ofereça todas as substâncias benéficas que ele tem.

Veja abaixo as dicas de nutricionistas para a ingestão correta dos funcionais goji berry, chá de hibisco, chá verde, linhaça e chia:

Goji berry

O goji berry ajuda a emagrecer e ainda a reduzir a celulite e melhorar o sistema imunológico, entre outros benefícios. Ele pode ser consumido como suco, in natura ou desidratado.

Se optar pela versão desidratada, que é mais comum no Brasil, é recomendado ingeri-la com água para hidratar as fibras e potencializar os efeitos benéficos. “A fruta pode ser misturada a outras frutas, saladas, sucos e iogurtes, para que se alcance seus efeitos. O importante é que seu consumo esteja presente no dia a dia”, afirma a nutricionista Cátia Medeiros.

Acredita-se que alguma substância do goji berry interaja com o P450, local no fígado onde muitos medicamentos são metabolizados. Portanto, o consumo do alimento não é indicado para quem faz uso de medicações diária importantes, como para o controle glicêmico e de pressão.

Quando é consumido em excesso, alguns estudos feitos nos Estados Unidos apontam que o chá de goji berry tem ação inibitória de medicação utilizada para evitar trombose ou anticoagulantes.

Chá de hibisco

Ajuda na queima de gordura, tem ação diurética, é antioxidante e controla o colesterol. “Para elaborar o chá corretamente deve-se atentar à água. Ela precisa ser mineral e não pode ser muito aquecida. A temperatura máxima é de 65 a 85 graus, quando pequenas bolhas começarem a se formar no fundo da caneca”, explica a nutricionista Julie Maida, da Rede Mixirica. Isso porque se a água entrar em processo de fervura fará com que o chá perca suas propriedades funcionais.

A quantidade diária recomendada do chá são 200 ml. Aqueça essa quantia de água e adicione 4 a 6 gramas, o equivalente a uma colher de chá, da flor seca ou dois a três pacotinhos de chá.

Para quem quer emagrecer o chá de hibisco pode ser misturado com um alimento termogênico. Isso porque o primeiro irá evitar o acúmulo de gordura na região do abdômen e quadris e o segundo será capaz de aumentar o gasto energético.

É importante ressaltar que esta estratégia só adianta quando a pessoa tem uma dieta balanceada e pratica exercícios.

O consumo em excesso do chá de hibisco não é orientado, pois como a bebida tem ação diurética pode fazer com que a pessoa elimine muitos eletrólitos, nutrientes essenciais para o funcionamento do organismo, composto principalmente por cálcio, potássio, sódio e magnésio. A falta dessas substâncias pode levar a desidratação.

Gestantes e lactantes devem evitar o chá de hibisco, pois algumas pesquisas preliminares mostraram que a bebida possui ação mutagênica, ou seja, pode interferir na estrutura dos genes do bebê, levando a problemas.

Chá verde

Funcional e antioxidante, o chá verde também é um termogênico, ou seja, queima as calorias mais rapidamente no nosso corpo. A melhor forma de aproveitar os nutrientes da bebida é não ferver a água. “Caso aconteça de adicionar água fervente direto ao chá-verde, esta fará com que ele perca suas propriedades benéficas e fica com um gosto muito amargo”, alerta Maida.

A recomendação é a mesma do chá de hibisco, aqueça a água para o chá até começar a formar bolhas no fundo da caneca, cerca de 60 a 85 graus. Depois, acrescente duas colheres de sopa da folha da erva na água, que é a opção mais saudável do que as versões em pó, saquinho ou cápsulas. Desligue o fogo e deixe abafando por cinco a dez minutos. Para diminuir o efeito estimulante da bebida, descarte a primeira água e então repita o processo.

A quantidade recomendada de chá verde por dia é até 600 ml. Evite consumir durante as refeições. Como o chá verde possui grandes quantidades de cafeína, o excesso da bebida pode causar insônia e levar a gastrite por aumentar a secreção gástrica. Beber mais do que os 600 ml por dia também pode reduzir a absorção de diversos nutrientes como o ferro e o cálcio.

Gestantes devem evitar tomar o chá verde, pois ele pode reduzir o fluxo de sangue para a placenta, dificultando o desenvolvimento do feto. Pessoas com hipertireoidismo também devem evitar o chá, já que elas estão mais propensas à aceleração do metabolismo, devido a maior produção de hormônios da tireoide. Também é contraindicado para hipertensos, pessoas com glaucoma e irritações gástricas. Esse chá ainda pode ter interações com remédios que estimulam o sistema nervoso simpático, portanto, ele não é indicado para quem os ingere.

Linhaça e chia

As duas contribuem para o emagrecimento, pois proporcionam saciedade. Ambas são ricas em ômega 3, gordura poli-insaturada que é boa para o coração, visão, cérebro, entre outros benefícios.

Porém, para aproveitar o ômega 3 presente na linhaça e na chia é melhor triturar as sementes, pois o ácido graxo está dentro de uma capa de celulose. Ao quebrar essa capa, um óleo muito sensível é exposto. Então, a orientação é triturar as duas e consumir na hora ou se quiser ingerir depois, coloque-as em uma vasilha de plástico fosca com tampa e leve ao freezer. Desta forma o alimento ficará protegido de luz, oxigênio e da temperatura, evitando que ocorra a oxidação.

A linhaça e a chia também são saudáveis quando consumidas in natura, pois são ricas em fibras. As versões in natura podem ser combinadas com saladas, iogurte, frutas e sucos. A chia também pode ser hidratada em 60 ml de água e após formar o gel pode ser consumida pura ou misturada ao suco e vitaminas.

Cerca de uma colher de sopa ou 10 gramas ao dia é a quantidade recomendada de linhaça. Já para a chia, a recomendação é de 25 gramas ou duas colheres de sopa da semente por dia. Não há contraindicação para o consumo de chia. Porém, o alimento não pode ser ingerido em excesso, pois pode levar ao aumento de peso, constipação intestinal, especialmente se a pessoa não tomar quantidade suficiente de água, e desconfortos gástricos.

Pessoas com intestino que funciona rapidamente podem ter desconfortos com o consumo da linhaça e o excesso pode causar problemas como competição por absorção, produção excessiva de gases e até mesmo obstrução intestinal.

Compartilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInPin on Pinterest