Blog

02/out

Apenas 1% da água mundial está disponível para uso

Cerca de 70% da superfície do planeta Terra é de água, principalmente no estado líquido, constituindo um recurso natural renovável por meio de ciclo. A grande maioria dessa água está presente nos oceanos e mares (cerca de 97,4%), 2% está armazenada nas geleiras e apenas 1% está disponível para o uso, armazenada nos lençóis subterrâneos, lagos, rios e na atmosfera.

Fundamental para a vida, a água é que garante sobrevivência a todos os organismos vivos, incluindo o homem. Para isso é fundamental que os recursos hídricos apresentem condições físicas e químicas adequadas para que possa ser utilizada pelos organismos. A água precisa estar presente, não somente em quantidade adequada em uma dada região, mas também que sua qualidade seja satisfatória para suprir as necessidades de um determinado conjunto de seres vivos.

Os usos múltiplos da água pelo homem aumentou e produziu a sua degradação e poluição. Por outro lado, os usos excessivos e as retiradas permanentes para diversas finalidades têm diminuído muito a disponibilidade de água e produzindo inúmeros problemas de escassez em muitas regiões e países.

São muito os fatores que vêm provocando o comprometimento dos recursos hídricos disponíveis para consumo humano, como o desenvolvimento industrial, o crescimento demográfico e a ocupação do solo de forma intensa e acelerada. Essas atitudes também tem aumentado consideravelmente o risco de doenças de transmissão hídrica.

Água não tratada traz doenças

A deterioração da água em países desenvolvidos e em desenvolvimento é um dos grandes problemas ambientais da atualidade que compromete a saúde e o bem-estar do homem. O melhor método de assegurar água adequada para consumo consiste em formas de proteção, evitando as contaminações que podem ocorrer e a exposição das pessoas a riscos de doenças.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 25 milhões de pessoas no mundo morrem por ano devido a doenças transmitidas pela água, como cólera e diarréia. A OMS indica que nos países em desenvolvimento 70% da população rural e 25% da população urbana não dispõem de abastecimento adequado de água potável.

Tratamento é precário no Brasil

Em 1995, no Brasil, 76% dos domicílios estavam conectados a rede de abastecimento de água, sendo a cobertura mais elevada na região sudeste. Hoje, os serviços de água e esgoto são ainda precários, o que poderia explicar o ressurgimento de enfermidades e a incidência de óbitos provocados por doenças de veiculação hídrica.
Cerca de 50% do volume da água utilizada no país é proveniente de rios e 30% advém de lagos, lagoas e açudes. Em diversas localidades, a qualidade da água produzida não atende ao padrão de potabilidade vigente no país.

Há ainda uma grande necessidade de desenvolvimento de pesquisas tecnológicas para contribuir com a solução desses problemas. A escolha de tecnologia inadequada no projeto da Estação de Tratamento de Água (ETA) pode acarretar sérios prejuízos à qualidade da água produzida. Além disso, existem inúmeros problemas operacionais nas estações em funcionamento que também podem levar à produção de água em qualidade inadequada para o consumo humano.

Fonte: CDCC

Compartilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInPin on Pinterest